domingo, 1 de agosto de 2010

REMENDO

retalhos
são panos
falhos


Um poema costurado a outras palavrinhas.

Quem declara seu amor na noite fria num dia de calor calaria?
Num dia de clamor, calmaria,
num dia de pavor, palavrinha
numa nuvem fada madrinha
na estrela de condão, varinha.

Poema gentilmente cedido por Arnaldo Antunes (gentilmente, o primeiro verso foi transcrito de dos livros do Arnaldo, mas aspas iam estragar a costura.)

Um comentário: